iinspiradas

terça-feira, 1 de novembro de 2016

Por onde a gente começa a viajar?

às
Essa é a pergunta que não quer calar. Bom, você precisa primeiro definir algumas coisas sobre você mesmo para saber o que te serve. Eu vou partir do pré-suposto de que se você está aqui lendo o que escrevo, VOCÊ quer fazer parte do serviço. E pode ter certeza de que só isso já te faz economizar e não cair em qualquer pacotão aleatório da agência X.

Se você não tem saco para pesquisas exaustivas, já posso te dizer que sua viagem tende a ser mais cara do que a de alguém que faz esse serviço por conta própria, naturalmente. Além de uma frustração ou outra que um pacote pré-formatado pode gerar. Mas também não precisa fazer absolutamente tudo sozinho!


O objetivo do post de hoje é te colocar para pensar e entender algumas coisas sobre você e as pessoas que dividem esses sonhos contigo.

Anota aí:

1 - Defina o Perfil do grupo de viagem: se você for um lobo solitário, a flexibilidade da viagem está apenas em suas mãos. Você pode optar pelo que te agrada sem precisar levar em consideração o gosto de outras pessoas. Se tiver acompanhante é importante levar em consideração também as expectativas deles na hora de fazer escolhas. E isso ainda muda se o acompanhante é o namorado, marido, pais ou amigos. Ou ainda se no grupo tem crianças ou não. Um planejamento que não leva em consideração quem são os viajantes pode ser um stress principalmente para quem planeja, não é legal ter gente de bico o tempo todo.

2 - Defina os possíveis períodos para viajar: esse item depende do anterior. E as vezes ele se torna mega inflexível por isso. O que precisa ser entendido aqui é que quanto menos flexíveis forem as datas, menor é a possibilidade de achados para viajar barato. De forma ideal você pode fazer um calendário e pintar as datas conforme o grupo que está disponível para viajar com você: viajar sozinho, viajar em casal, viajar com os filhos, viajar com os pais. Isso facilita enormemente quando você vê aquela promoção de passagem no Melhores Destinos e tem definido como fazer as buscas (datas e quantidade de pessoas).

3 - Defina possíveis destinos: Tenha sempre uma lista de lugares que você quer conhecer. Mas não adianta essa lista ter apenas Disney, Paris e Amsterdam. Seja realista. Se um amigo foi para uma praia legal logo ali, mas que te deixou interessado, inclua esse destino à sua lista de possibilidades. Quando você tem uma lista com opções você consegue aproveita melhor as oportunidades. E ainda: você não precisa ficar preso a ela. Pelos destinos que constam ali você pode acabar comprando um destino que não estava na lista, mas é semelhante a outros que ali estão. Golpe de oportunidade!

4 - Defina quanto você quer gastar com viagens: e aqui a coisa é extremamente pessoal. O que é barato pra mim, pode ser caro para você e deve ser baratíssimo para alguém mais rico que nós. Você e mais ninguém deve definir quanto pode/quer gastar. Quem me conhece sabe que eu não quero que ninguém que leia esse blog fique endividado (do tipo que não pode pagar) para poder viajar (ou fazer qualquer outra coisa na vida). A ideia aqui é fazer mais com menos. Ter esses valores em mente faz com que você tenha bem claro o que realmente é oportunidade e o que é apenas uma manipulação publicitária.

Acho que esses são 4 pilares fundamentais. Tem mais detalhes aqui e ali que com o passar do tempo você vai incluir na sua lista de definições. Mas por enquanto isso aqui vai te dar um ótimo norte.

Me conta o que você tá achando.

E me conta também se você tem alguma dúvida, quer saber algo em especial. Vou adorar ajudar! Beijos e até semana que vem ;D

Um comentário:

  1. Acho que o destino também está atrelado ao perfil do grupo! hahaha Essa coluna vai ser sensacional!!! Vontade de viajar em 3, 2, 1....

    ResponderExcluir