iinspiradas

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Nunca será só futebol!

às


Depois de comemorar insanamente o Enea Campeonato do Palmeiras, eu já estava me preparando psicologicamente e emocionalmente para enfrentar outro final de campeonato, quarta feira era dia da Chapecoense, um time batalhador e simples de Santa Catarina, disputar pela primeira vez uma final de Sul Americana e com grandes chances de ir para Libertadores, só que o destino quis diferente e nós nunca vamos entender o porque.

Eu sempre procuro ver o lado bom das coisas, sempre mesmo, não é demagogia dizer isso, mas depois dessa tragédia eu consegui voltar a ter esperanças na humanidade, confesso que já tinha perdido um pouco dela.

Eu apaixonada por futebol desde criancinha, resolvi escrever esse texto para mostrar que nunca foi só futebol.



Para quem não me conhece, eu sou apaixonada por futebol, tudo começou com com meu tataravô que veio da Itália pro Brasil há um bom tempo atrás, depois disso ficou claro que esse amor pelo Palmeiras, antigo Palestra Itália foi passado de geração para geração, meu vô Adyr teve duas filhas meninas e na última tentativa veio o tão sonhado filho homem, meu pai, e ele teve o prazer de passar ao filho esse amor por futebol e pelo Palmeiras, obvio que comigo não foi diferente, mesmo sendo menina eu desde pequena adorava assistir aos jogos do lado do meu pai e meu avô.



Tá aí uma foto que não me deixa mentir, eu com 6 anos nos braços do meu pai, em 1999 e ao fundo o poster de Campeão da Libertadores de 1999.





 E para provar que eu continuo com a tradição da família, está aí uma foto de 2015, no jogão do Palmeiras. (meu primeiro clássico, ganhamos de 4x0 do São Paulo, UHUUUUL)


Enfim, já ouvi muita baboseira, muitos comentários machista, "mulher não entende de futebol", outros nem tão machistas assim, mas bem sem noção, "qual a graça do futebol?", " Um monte de cara correndo atrás de uma bola".

Eu nunca me irritei com comentários desse nível, até porque você não consegue mudar algo na cabeça de alguém, mas eu sempre bati na tecla ao dizer que futebol vai além das quatro linhas.


Terça-feira, dia 29 de Novembro de 2016, um dia que iria marcar todo Brasil devido a tragédia envolvendo a queda do avião do time da Chapeconse, eu não sei descrever aqui sobre o que eu senti na hora de acordar com aquela notícia, mas foi algo doloroso, triste e bem difícil de se entender,  caramba o Danilo defendeu um gol impossível nos acréscimos do segundo tempo, no jogo da semi final,  se ele tivesse deixado a bola passar, o time não estaria na final, o avião não teria caído e eles estariam vivos, mas como diria minha vó "ninguém morre na véspera", aconteceu porque tinha que acontecer.

Eu sempre fiquei muito triste ao ver brigas de torcidas, pessoas se matando e o pior, inocentes morrendo, só Deus sabe como eu fico mal por isso, é difícil as pessoas entenderem que a rivalidade tem que ficar dentro do campo? qual razão tem de sair se matando e tirando vidas por causa de briga de clube rival? Temos que ter mais amor ao próximo, somos todos irmãos e tirar a vida de alguém por um motivo tão banal, me machuca e muito.

Eis que depois dessa tragédia eu senti uma onde de amor, solidariedade e carinho pelos próximo, não tinha mais clubismo, não existia mais rivalidade, não tinha mais ódio,  tinha uma só cor e um só nome, Chapecoense.



(Foto maravilhosa e cheia de emoção tirada por mim)

Eu vi os clubes trocarem suas fotos das redes oficiais pelo escudo da Chape e deixando mensagem de solidariedade, isso não aconteceu só aqui, grandes clubes do futebol mundial também prestaram sua homenagem.

Vi o Palmeiras pedindo para jogar o último jogo com a camisa da Chapecoense,  sem nem se importar em não estampar seus patrocinadores no último jogo, eu vivi para ver o Corinthians deixar suas redes sociais nas cores verde e branco, vi todos os times se unindo para emprestar jogadores para que o time continuasse, vi pessoas fazendo campanha para virar sócio torcedor e assim arrecadar dinheiro ao clube que está desestruturado.

Ontem me emocionei muito com as homenagens nos estádios, em Medellín torcedores colombianos lotaram o estádio para fazer uma linda cerimonia de luto.


O Atlético Nacional, o time que também disputaria a final, pediu a Conmebol que desse o título de Campeão da Sul Americana à Chape, e tudo indica que isso vai acontecer.

Nunca foi só futebol, nunca foi apenas homens correndo atrás de uma bola.
Eu voltei a ter esperanças em que as pessoas podem ser melhores, eu me emocionei com todo apoio prestado ao clube, e é por isso que eu continuo ainda mais apaixonada pelo futebol e pelas coisas maravilhosas que só ele nos proporciona. 

Vivemos em um mundo cheio de tragédias e noticias ruins o tempo todo nos jornais, mas são nesses momentos que nos fortalecemos e conseguimos pensar que ainda existe amor nesse mundo.

Eu queria que clima  de amor ao próximo não passasse, que soubéssemos tirar algo bom desse fatídico dia, eu realmente desejo que as pessoas consigam enxergar além da rivalidade, meu desejo é  que extracampo fosse sempre uma festa, onde várias pessoas de diversas torcidas se reunissem com o propósito de falar de futebol, rir e zoar sim os times rivais, mas de uma maneira saudável, nesses momentos de tristeza percebemos que a vida é muito curta  para perdermos tempo com bobagem, com brigas e discussões, não só no mundo do futebol, mas em nossas próprias vidas, não vale a pena deixar de falar com alguém por um mal entendido bobo, é nesse momento que a ficha caí, precisamos transbordar amor, dar mais importância nos pequenos detalhes, dar mais atenção aos nossos familiares, deixar de lado aquela mágoa, a vida passa rápido, e amanha pode ser tarde demais.

Eu deixo aqui os meus sinceros sentimentos aos familiares das vítimas, o Brasil inteiro está sofrendo com vocês.

Eu acredito que irei ver o time da Chapeconse fortalecido de novo e sei que trará muito orgulho, todo mundo tem um time do coração, agora todos temos um outro time para dividir esse amor, o mundo inteiro levará para sempre esse carinho pelo time da Chapeconse.




Vão com Deus e obrigada por fortalecer minhas esperanças!

Nunca vai ser só futebol!

#ForçaChape

4 comentários:

  1. Lindo texto Mônica, de grande sensibilidade. Falar sobre futebol, neste momento, não é fácil. Difícil não recordar as vidas que foram interrompidas de forma tão abrupta e deixaram tanta dor, não apenas nas famílias, mas em todos nós. Tragédia que podia ser evitada. E essa dor vem, justamente, por não ser apenas futebol, mas por serem vidas, pais, filhos, irmãos, maridos, amigos... Enfim, não foi um time, foram vidas. Que Deus conforte os corações de todos!

    ResponderExcluir
  2. Lindo texto Mônica, fiquei mais emocionada do que já estava... Foi uma tragédia e como vc disse temos que dar mais valor ao amor!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada querida! Fico feliz em saber que toquei seu coração com texto! Um beijo

      Excluir
  3. Moni, obrigada por ter representado aqui no texto o que é maior que o futebol: o amor! Todos nós estamos muito sentidos com o acontecido. O melhor que podemos fazer agora, são orações para os familiares dos jogadores.

    ResponderExcluir