iinspiradas

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

REFLEXÃO: Como Sair da Zona de Conforto Para Uma Vida Abundante? (Como Tirar Sua Vida Ideal do Papel Part.4)

às
Boa Tardeee pessoas lindas!!
Já estava com saudades de compartilhar mais desse aprendizado maravilhoso que tenho tido a cada dia! 
Gostaria de frisar que toda minha escrita é baseada e algumas partes retirada do livro magnífico: O PODER DA AÇÃO do PhD Paulo Vieira. (O qual te indico de olhos fechados, sério, ele vai mudar a sua vida e a sua maneira de olhar para a vida).
Obs: Para que você possa entender melhor está leitura é melhor você partir do princípio e ler as 3 primeiras partes: 
Boa leitura!
Leu tudo? Agora tudo faz sentido né? Então vamos lá!

COMO SAIR DA ZONA DE CONFORTO?
 A única coisa que pode te tirar da zona de conforto é a ação direcionada. Mas direcionada para onde? Direcionada direta e exclusivamente para suas metas e seus objetivos na vida.
No entanto, observe: para sair da zona de conforto não é necessário a melhor ação, não necessita ser a ação mais acertada nem a mais eficaz a ser posta em prática. Mas sim, qualquer e toda que seja a ação direcionada sutilmente para seus objetivos já inicia o processo de mudança e libertação da zona de conforto na qual você se encontra. Existe, porém, uma força paquidérmica, que sustenta e mantém as pessoas aprisionadas na zona de conforto. Devemos direcionar nosso foca para identificar, qualificar e em seguida destruí-la, e quando isso acontecer você vai se encontrar sobrevoando e pronto para aterrissar nos seus objetivos mais importantes, milhas e milhas distantes daquilo que antes você chamava de zona de conforto.

HISTÓRIAS E HISTÓRINHAS
Como já havia citado anteriormente o Paulo Vieira cita muito em seu livro a sua crença em Deus e seu filho Jesus Cristo (no qual eu acredito cegamente também), como fomos criados por Deus para uma vida abundante em todos os aspectos. E que os acontecimentos da vida de qualquer pessoa, por si só, deveriam levá-la a esse padrão de excelência. São como as águas de um rio que naturalmente fluem em direção ao mar. Essa é a natureza e o normal para o rio. Nós tentamos represa-lo com muito esforço utilizando barragens para mudar seu curso natural. A abundância é a natureza de Deus e, consequentemente,  a natureza humana.
Se você não está vivendo essa abundância e plenitude divina, é porque existe uma barragem desviando o teu fluxo e impedindo o fluir dessa natureza abundante em você. E somos nós que, através de comportamentos muitas vezes "inocentes e despretensiosos", que criamos essas barragens e desviamos todo o bem que deveria chegar até nós.
Podemos acelerar o fluir dessa natureza abundante dentro de nós e deixar coisas boas fluir em nossa vida, o nome que daremos a essa força contrária que cria barragens e nos impede é HISTORINHAS. Porque falar da força contrária e não de como melhorar? Porque primeiro precisamos desapegar daquilo que nos arrasta para trás para que possamos caminhar à frente.
As historinhas são estruturas linguisticas, verbais e mentais que validam, explicam e justificam nossos fracassos, nossas falhas e nossos insucessos. Uma maneira as vezes sutil e outras não tanto de não nos responsabilizarmos por resultados, acções e comportamentos que não deram certo na vida. Como é cômodo termos toda uma historinha ensaiada para explicar, ou melhor, justificar porque fomos demitidos. Como é mais fácil se justificar com uma historinha para o diretor da escola dos filhos dizendo que criou os dois da mesma maneira e só um é problemático. Aparentemente, as historinhas trazem um certo conforto, mas a dura realidade é que elas causam duas consequências devastadoras na vida das pessoas, a primeira, é que elas atacam a autorresponsabilidade , elas tiram a autonomia de seu autor, deixando-o como refém da situação.
Nós acabamos por sempre dizer alguma historinha no dia-dia para nos justificarmos de algo, que o cérebro ao ouvir-nos dizer todos os dias as mesmas coisas acaba absorvendo essa mensagem como sendo verdade, e quanto mais vezes ela for contada e com mais intensidade emocional for dita, mais presa dentro dessa falsa verdade a pessoa ficara. Então a primeira consequência é que se você afirma para o diretor que criou os dois filhos iguais e apenas um é problemático, seu filho com certeza se tornará a ovelha negra da família, pois você está afirmando isso, e a segunda consequência é que seu cérebro entende isso como sendo uma verdade, e você se coloca como vítima diante de uma situação em que você não é, e que no caso somente você poderia reverter o quadro, mas né? você é uma vítima e esta acomodada, mudar pra que?
Quantas historinhas temos contado para justificar nossos fracassos? Quantas historinhas temos criado e contado para justificar e expressar nossa permanência no grande tonel da zona de conforto?
É extremamente comum acreditarmos que historinhas são mentirinhas ou disfarces simples para algo do qual queremos fugir ou sobre a qual não queremos reconhecer nossa responsabilidade. Na verdade existem segundo o Paulo Vieira três categoria de historinhas: Mentiras e exageros, verdades e brincadeiras.
1-Histórinhas Mentirosas: são justificativas inventadas com o objetivo de diminuir a culpa.
2-Historinhas Verdadeiras: são uma tentativa de acusar o outro e se eximir da responsabilidade dos próprios atos.
3-Histórinhas de Brincadeira: as brincadeiras fazem a pessoa fechar os olhos para o problema, tirar o foco do assunto por meio de uma piada ou de algo engraçado dito sobre o problema.
Seja qual for o tipo de historinha, elas destroem a autoimagem e deixam seus autores impotentes na questão de ação e do comportamento, e cestos da impossibilidade de realizar.
Vou citar 3 exemplos citados no livro, porém, irei resumi-los de forma "entendível".

Caso 1- Certa vez Paulo encontrou um antigo parceiro comercial e chegaram ao assunto saúde, neste momento seu amigo confidenciou: "Você sabe, eu não como nada e mesmo assim não paro de engordar". A esposa dele olhou para baixo e ensaiou um sorriso irônico. E ele continuo u "Meu médico disse que meu metabolismo é muito lento para queimar a gordura e por isso estou acima do peso!", com respeito Paulo o indagou:"Que exames seu médico fez para avaliar seu metabolismo e a queima calórica?". E então a esposa respondeu:" historinha Paulo, tudo historinha, nem médico ele tem! a questão é que ele come muita besteira a noite na hora de dormir!"
Como podemos identificar a primeira historinha é mentira, pois a esposa confessou que ele come muito, nem médico ele tinha, e nenhum médico havia falado que ele tinha metabolismo lento. Era apenas uma inverdade para explicar sua obesidade, tirando dele a culpa ou a responsabilidade pelos quilos a mais. E como o problema de sua obesidade não era responsabilidade dele, afinal, o responsável era o metabolismo lento, porque mudar?
Categoria: Mentira
Comportamento: Justificação e diminuição de culpa pela aparência obesa.
Resultado Primário: Obesidade
Resultados Secundários: Problemas de saúde, problemas conjugais, baixa produtividade profissional, pouca atividade sexual, etc.

Caso 2- Conversando com um empresário ele se abriu com Paulo sobre sua dificuldades financeiras e o porquê. Ele disse em tom de vitimização e também de impotência:"Este país quebra qualquer um, em um dia o dólar esta baixo, e no outro alto. Fiz uma importação porque o dólar estava baixo e agora ele subiu 40%. Como vou pagar isso? Estou pedindo dinheiro emprestado a juros altíssimos. Sem contar que tenho mercadoria parada nos portos há mais de dois meses. E o pior é a operação tartaruga que temos no órgão fiscalizador. No brasil é assim mesmo, tudo difícil para o empresário".
De fato, o que ele falou era VERDADE. Um país sem regras claras e pior, regras que podem mudar do dia para a noite, muita burocracia e uma completa ineficiência dos mecanismos e das estruturas governamentais. Sem contar a corrupção em níveis alarmantes etc. Entretanto, se o problema da empresa dele era apenas esse, então porque seu concorrente, que na verdade começou bem depois dele e sem capital, está indo tão bem crescendo tremendamente apesar do governo e todo o chamado Custo Brasil? (Custo Brasil:Todos os gasto e características internos que oneram a produção e os investimentos feitos no país, tais como más condições das estradas, corrupção, tributação, energia etc).
Diferentemente do exemplo anterior esse caso é Verdade, contudo, quando olhamos para o setor a que ele pertence, vemos empresas que prosperam apesar de todos os problemas conjunturais do país. Conhecendo ele Paulo cita 3 coisas sobre as quais ele finge uma historinha, primeiro ele é muito centralizador e não permite que ninguém aja ou pense em soluções sem sua presença. Segundo, ele tem uma liderança autocrática e muito dura, é comum perder a cabeça e ofender a sua equipe. E, por ultimo falta-lhe gestão empresarial. Então porque mudar tudo isso se a culpa é da ineficiência do governo?
Categoria: Verdade
Comportamento: Acusação e tentativa de se eximir da responsabilidade pela crise financeira.
Resultado Primário: Crise Empresarial
Resultados Secundários: Problemas financeiros, problemas emocionais, dificuldade nos relacionamentos, problemas de saúde por causa do estresse etc.

Caso 3- O terceiro exemplo foi uma conversa que Paulo presenciou entre dois professores no lançamento de um livro. Um deles olhou para o outro que tinha porte atlético mesmo aos 55 anos e disse em tom de brincadeira:"Você está bem, hein, Alberto?!" E o amigo agradeceu:"Obrigado Carlos, tenho me esforçado para isso!". Carlos que estava bem acima do peso, sem perder tempo muito menos a piada completou em forma de brincadeira:"Essa minha superbarriga na verdade é calo sexual de tanto fazer amor". Os dois riram.
Quando brincamos com algo fazemos com que esse tema não tenha um peso alto, trazemos leveza e ausência de importância para ele em nossa mente. O cérebro não distingue o que é real do que é uma brincadeira inocente. Cada vez que aquele homem repete aquela brincadeira do calo sexual, seu cérebro entende que aquela barriga desproporcional de fato é algo sem importância e que não oferece nenhum ônus. Assim, não existe mobilização intelectual nem emocional na busca de uma mudança de hábito ou de comportamento.
Categoria: Brincadeirinha
Comportamento: Fechar os olhos para o problema tirando sua importância e o foco daquele assunto.
Resultado Primário: Corpo Disforme
Resultados Secundários: Problemas de saúde, problemas financeiros, dificuldade nos relacionamentos amorosos, baixa auto estima, sentimento de inferioridade etc.

Devemos começar a trocar nossas historinhas por histórias, as histórias nada mais são do que narrativas verdadeiras que colocam você como responsável pelos atos que geram consequências para sua vida. Não basta a história ser verdadeira, ainda é preciso que você entenda com ela que você é o único dono da sua trajetória, que são suas ações que trazem resultados.
Cabe a você mudar o que não está dando certo para chegar a um objetivo desejado.
Vamos a compreensão do processo de mudança pro meio das historinhas e das histórias:
1º Passo: Identificar em quais areas da vida está obtendo resultados ruins. 
2º Passo: Identificar quais resultados indesejados são esses.
3º Passo: Identificar para cada resultado indesejado e negativo quais historinhas você vem contando para justificar, explicar ou desresponsabilizar por eles.
4º Passo: Para cada historinha identificar a classificação: Categoria, comportamento, resultado primário e resultados secundários.
5º Passo: Contar uma nova história. Este passo é a última etapa do processo de mudança. Você precisa criar uma profecia (autorrealizável) que traga não só novos resultados como também novos comportamento.

A minha é: Não há limites para a realização das minhas metas pois "Tudo posso naquELE que me fortalece!"

Espero que tenham gostado, me excedi e escrevi um pouco além do normal, talvez porque eu também estava refletindo enquanto escrevia para vocês, gosto de compartilhar aquilo que eu tomo pra minha vida, para que assim como tem me ajudado possa ajudar outras pessoas, e assim sermos sempre, uma mão lavando a outra!

um beijo enorme e um ótimo final de semana 💋, Fiquem com Deus!

3 comentários:

  1. Um ótimo texto que leva a uma profunda reflexão de como devemos agir (e até reagir) diante da nossa insistente tentativa de ficar dentro da zona de conforto.

    ResponderExcluir
  2. Nossa a. Muito bom o texto meus parabéns !!! Vale mesmo a reflexão e assim agirmos de modos diferentes !!!

    ResponderExcluir
  3. Aquela história de um passo de cada vez!
    Utilizar metas curtas par ser mais fácil de realizar o objetivo maior!

    Outro dia vi uma frase que me lembrou durante a leitura "Quando deseja-se curar, tudo, primeiro, precisa vir a superfície". Como vamos evoluir se não nos conhecemos? Quedas são importantes para fortalecermos e desapegar do que não nos agrega! <3


    Nem preciso falar que adoro seus textos motivacionais né? Alegrou meu dia demais já!! Veleeeu, linda!!!

    ResponderExcluir