iinspiradas

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Rio de Janeiro: Corcovado e o Cristo!

às
Ahhh, o Rio!

Estou aqui escrevendo e lembrando com carinho dos meus dias de sol, praia e turismo por lá!

Mas nem só de sol o Rio é feito. O nosso segundo dia começou nublado. Mas com um café da manhã delicioso: era Natal.

Como eu já mostrei aqui, o hotel em que ficamos era um capricho só no assunto comida. Além do buffet das fotos, era possível pedir panquecas, omelete e tapioca doce e salgada. Tudo uma de-lí-cia! =P
Café da manhã de Natal

Resolvi que o melhor para aquela manhã que parecia deserta era ir ao Corcovado, apresentar o Cristo para minha mãe. Depois do Museu do Amanhã fechado, primeiro fui verificar no site: estava aberto e funcionando.

Há duas maneiras de subir o Corcovado para conhecer o Cristo: com as vans credenciadas do Parque da Floresta da Tijuca ou com o Trem elétrico do Corcovado. Optamos pelo trem porque era a primeira vez da minha mãe lá.

Ali no site mesmo tinha uma informação sobre a venda dos ingressos on-line, pois lá na bilheteria não há mais a venda nos guichês, apenas no auto atendimento. O ingresso do trem para subir o Corcovado também tem horário marcado, assim como foi a visita no AquaRio. Custou R$ 74,00 a minha e R$ 24,00 para mamãe, que tem mais de 60 anos. Estes preços são para alta temporada.

O uber do hotel até a entrada do trem custou R$ 17,78.
Chegamos à bilheteria com os nossos documentos e o comprovante de compra online. Trocamos por ingressos físicos e fomos para a entrada da estação. 

Nada de filas. Ou porque era muito cedo ou porque era Natal. Essa cena foi bem diferente de uma sexta em novembro de 2015 quando eu fui ao Cristo pela primeira vez. Na ocasião pegamos uma fila GIGANTE, com turistas e crianças organizadas em excursão escolar. Agradeci por isto!

Pontualmente as 10:20 o embarque dos passageiros foi feito. A subida pelo bondinho é uma cena a parte. O caminho é extremamente ingreme e surpreende a cada curva, a cada trecho de mata com sua diversidade, seguida de trechos com vistas incríveis lá do alto. A floresta da Tijuca é a maior floresta urbana do mundo! Detalhe que ela é obra de reflorestamento, incrível...

Dica: dentro do trem os bancos do lado esquerdo ficam "de frente" na subida. MAS o melhor lugar para vista e fotos são nos bancos do lado direito, que ficam "de costas" na subida. Na descida como todos sabem disso é praticamente impossível pegar um lugar ali. Então, dê preferência a esses assentos já na subida.
Eu não peguei o lado certo... =/

Pelas minhas contas são 3 trens que fazem o percurso. Há esses pontos onde um espera num recuo enquanto o outro passa.

Me espantou muito saber que tem gente que reside ali naquele morro, no caminho para o Cristo. Não entendo bem como, já que a estrada de ferro é do século 19 e o Cristo foi inaugurado em 1931. As casas não parecem ser de data anterior a esta. Enfim...
Jacas, muitas gigantes jacas!

Chegando lá em cima, o primeiro trecho pode ser subido por escadas ou elevadores. Optamos pela segunda opção para economizar as pernas da mamis. O segundo trecho de subida tem escadas rolantes, e chegamos e esta vista:

Sem palavras, sempre lindo.

Aí é a hora de procurar os melhores ângulos e muitos cliques.
"Filha, você só tem selfie. Deixa que eu tiro uma foto sua..." 
HAHAHAHAHAHAHAHA
Da primeira vez que eu estive ali um moço desconhecido se ofereceu para tirar aquela foto clássica "segurando" as mãos do Cristo. Ele se deitou no chão sem cerimônia, nos deu as diretivas e clicou. Desta vez notei que haviam estes colchonetes/tapetes no chão justamente para esta finalidade =D

Depois das fotos, escolhemos uma sombra para apenas observar o lugar. Que mesmo coalhado de gente, a vista de tirar o fôlego trás uma paz sem compreensão. Foi mais um momento para agradecer o 2016 maluco porém delicioso que tivemos.

Na volta para o hotel um enrosco: Não consegui chamar NENHUM Uber ou taxi pelos apps. Os taxistas que apareciam queriam fazer preço fechado para corrida. Como eu não compactuo com esse tipo de palhaçada, depois de 20 minutos decidimos voltar para Copacabana de ônibus mesmo. Descendo a rua Cosme Velho, a da entrada do trem do Corcovado, algumas poucas quadras na mesma rua há um ponto de ônibus. A linha 584 vai para Copacabana passando pelo Flamengo e Botafogo, com vista para a Baía de Guanabara. Achei bem legal turistar com a população local. O ônibus demorou um pouco, afinal era 25 de dezembro. Mas nada absurdo. E não estava muito lotado também.

Para não sofrer com um cobrador mal humorado, recomendo ter dinheiro trocado para tais ocasiões. Descemos na Rua Barata Ribeiro, já na altura do nosso hotel. Bem tranquilo!

Aproveitamos para passar numa lanchonete que estava aberta e compramos coisinhas para um lanche leve, já planejando uma praia na sequência! Mas a praia é assunto para outro post! 

Espero que estejam gostando da série! Para ver o primeiro post clique aqui

Semana que vem tem mais!!!

Não quer perder novas postagens? Segue a gente no Instagram e dê o seu like na nossa página no Facebook.

=*

Um comentário:

  1. Eu só fui ao Rio de passagem para outros lugares, vi mesmo foi pela janelinha do avião... Agora deu vontade de fazer uma parada na próxima vez!

    ResponderExcluir